In Memoriam

Espaço destinado às homenagens aos que partiram.
“Ninguém morre enquanto permanece vivo nos nossos pensamentos” – Autor desconhecido.

___________________________________________________________________

Professor C. CELSO DE BRASIL CAMARGO


É com grande pesar que comunicamos o falecimento do Professor C. CELSO DE BRASIL CAMARGO, ocorrido no dia 07/03/2021.
Celso de Brasil Camargo ingressou no Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica no em 01/08/1979 como Professor Efetivo.
Deixamos os nossos mais sinceros pêsames aos familiares e amigos.

Seguem abaixo alguns relatos:

“Prof. Celso foi um homem completo como professor, cientista e família. Tive o prazer de conviver com ele durante muitos anos, seja na UFSC, seja em sua casa. Senão, vejamos: mestre dedicado e muito educado, escritor pioneiro de livros didáticos de engenharia na área de confiabilidade e de linhas de transmissão, pesquisador dedicado em sistemas elétricos e em meio ambiente, trabalhou no EEL/ UFSC e na Eletrosul onde ocupou cargos de chefia. Pai e avô dedicado, incentivou filhos e netos na cultura e na formação. Antes de tudo foi um grande amigo e um irmão mais velho. Saudações deste seu amigo, Prof. Jorge Coelho.”

“Nosso ex-colega Celso Brasil Camargo era uma pessoa afável, que sempre procurava manter bom relacionamento com todos. Mesmo quando tínhamos posições divergentes, demonstrava respeito pelas opiniões dos colegas e não permitia que questões profissionais contaminassem as relações pessoais. Lembro em particular sua atuação como Chefe do Departamento, durante as alterações do nosso espaço físico devido à desocupação das áreas antes cedidas ao antigo LCMI, hoje DAS, creio que em 2006. Até então vivíamos espremidos em salas de 12 m2 compartilhadas por dois professores, no corredor onde fica o PPGEEL e a Biomédica. Celso fez uso de sua experiência de gestor de seus tempos de cargos de chefia na Eletrosul e mostrou grande sensibilidade e sensatez para coordenar a repartição do espaço físico liberado. Com resultado desses esforços, nós, do Labspot, finalmente pudemos ter salas adequadas para o exercício de nossas atividades. Nossas condolências à família e amigos mais próximos. Que sua alma descanse em paz. Professor A. Simões Costa”

“O Prof. Celso já deixava saudades só de não estar presente no Labplan. Participou da formação profissional de 2 gerações da minha família. Muito antes de ser meu professor, o Prof. Celso foi chefe na Eletrosul e orientador de mestrado do meu pai. Sempre encontrava o Prof. Celso de bom humor nos corredores da UFSC. Sempre me cumprimentava e buscava maneiras de iniciar uma conversa amistosa. Que descanse em paz. Prof. Diego Issicaba”

“Conheci Prof. Celso Camargo inicialmente como professor da graduação na disciplina de Transmissão de Energia Elétrica em 1984. Logo depois disto, encontrei-o muitas vezes na Eletrosul, quando fui estagiário no DPL. Voltei a tê-lo como professor do mestrado na disciplina de Confiabilidade de Sistemas de Potência. Prof. Celso teve produção acadêmica muito relevante nestas duas áreas do conhecimento. Em todos estes momentos, Prof. Celso sempre demonstrou ser uma pessoa atenciosa e afável. A partir do final da década de 90 estreitamos nosso relacionamento, tanto profissional como pessoal. Compartilhamos sala, experiências, participação em projetos de pesquisa, orientações de doutorado e escrita de livro e artigos. Prof. Celso era uma pessoa de relacionamento fácil e de convívio agradável. Certamente ele viverá por meio do seu imenso e valioso legado acadêmico. Desejo muita fé e força para que os familiares possam superar esta perda irreparável. Que tenha uma passagem tranquila e descanse em paz! Raimundo C. Ghizoni Teive.”

“Eu fui estudante e orientado pelo Prof. Celso, no LabPlan, de 2000 a 2009. Confesso, que recebi a notícia com muita consternação. Foi com o Prof. Celso e ao lado dele que construímos parte importante da minha formação como engenheiro, escrevemos o mestrado, o doutorado e inúmeros artigos. Ele foi a ponte e o caminho com que construímos saberes durante 10 anos de formação. Durante este período concordamos, discordamos, mas, sobretudo elaboramos saberes e, não, apenas em engenharia. Nossas conversas eram plurais e culturais, em diversas áreas do conhecimento. Mas, não terminou após os 10 anos de formação, sempre respeitando horários e a privacidade da família, nós falávamos sobre artigos, livros e amenidades, em especial sobre futebol. Aliás, este último foi o motivo da nossa última troca de e-mails ao final do brasileirão deste ano. O Prof. Celso tinha visão abrangente do que é e será a engenharia, em especial de planejamento de sistemas de energia. Nos anos 2000 já tratava de geração distribuída e de gerenciamento pelo lado da demanda. Eu não tenho a pretensão de estimar a dor da perda, mas o Prof. Celso vive em livros, em artigos, em trabalhos acadêmicos e, sobretudo, através daqueles em que representou um caminho para construção de saberes. Após a publicação das obras escritas, elas tornam-se públicas e seus autores definitivos. Neste tempo de exceção, a perda nos atinge de forma mais aguda. Sinto-me triste e ao mesmo tempo privilegiado por ter compartilhado dessa experiência vivida. Meus sentimentos, minhas palavras e meus pensamentos de conforto e carinho à família e aos amigos. Atenciosamente, Everthon T. Sica”